POEMAS

Eu vou cuidar do nosso Jardim

Ainda que relute contra seu destino e seja feliz por poucos momentos
E não quer me encontrar por essas esquinas perdidas
Ainda que não saiba o que sentes e tente me desmentir
Não saberás infinitamente o quanto podes sorrir
Ainda que assim eu te escuto e me volto a chorar, de saudade, ciúme, desejo
Te quero tão sobriamente em meus braços, o tempo que me fizeste esperar
Agora que te vejo nas ruas, em cada rua de minha vida
Caminha, passeia e sorri vagamente com sua solidão
Abro a minha janela e vejo pessoas sorrindo, vejo o mar
Nuvens negras, chuva fina, pensamentos infinitos
Agora que te vejo por aí, abraçada em outras mãos
E não pensas em me olhar, ainda assim te anseio em meus dias
Espero...
E esperarei até o dia que me fizeste te esquecer
Não conseguirás sozinha e com esse medo que tem de se afastar
Sei que me olhas escondida, sei tão bem o quanto desejas o meu mundo
Te espero, minha vida, eu te espero
Até quando ouvir o seu perdão
Passou...
Ouvi os ditados das linhas de Deus
Havia esquecido o quanto te amava, passou
Lembrei-me do que fizeste, do não que me disse
Do acaso maldito que te afastou de meus planos
Passou.
O seu beijo em meu beijo foi como encontrar um caminho
Rosas, sonhos e versos, perfume de viver sem solidão
E suas lágrimas passei a afagar, outras encontraram as minhas
E foram apenas uma tristeza, lágrimas de um só coração
Felicidade...
Te convidei para a eternidade, te fiz o meu véu
E ainda que não saiba o quanto me fizeste feliz, te amarei
Consolido os meus momentos em seus braços
E abraço a minha eternidade em seu peito
Sei que agora nada há para te levar longe de mim
Um amor, que ainda não sabemos sentir, justifica a nossa união
Eu te prometo felicidade
Afagar seus prantos, ouvir sua voz
E cuidar, até quando eu não mais conseguir
Das flores do nosso jardim.

Bons Costumes

Meu coração, dono de meus sentimentos
Provém de Deus os meus desejos
E o doce encanto das minhas memórias
Cenas e dezenas delas me tratam como se eu não soubesse
O que passou jamais retornarás
Mas que bom que te encontrei novamente, coração
E contrariei os teus segredos
Vêm dos anjos os meus anseios
De te tornar a minha amada
E o que passou, Senhor
Não retornarás
Apenas um coração, repleto de bons costumes
De amar
Apenas te amar

Padroeiro São Francisco

Padroeiro São Francisco
Proteja essa terra, olhe para seus meninos
Os filhos de sua cidade
Deus e a mãe terra
Da cidade fraternal
Contempla os teus filhos
São Francisco de Assis

Homem de lata, que fica lá no auge da cidade
No topo desse solo, no colo de Deus Pai
É de lá que avista os teus filhos
É de lá que alimenta as esperanças
São Francisco de Assis, padroeiro dessa gente

Da Terra vermelha, cidade fraterna
De gente guerreira, de esperanças eternas
Eterna também é a tua fé
Teu alimento aos necessitados
Santo Francisco de Assis

Altíssimo, onipotente e bom Senhor,
A ti subam os louvores, a glória e a honra
E todas as bênçãos desse mundo

Obrigado São Francisco de Assis
Por todo esse amor
E continue abençoando essa terra
Santo Francisco de Assis
Nosso Padroeiro Salvador


O lado de cá

Olha cá, vem cá
Deixa eu te dizer um Oi
Talvez você melhore e comece a suspirar
Talvez você respire

Deixa que eu te diga um Oi
E te mostro as estrelas
Talvez assim você possa sorrir pra mim
E olhar pra outro canto e fazer amar
De novo, e de novo, te amar

Olá, olha aqui, deixa eu te pedir
Fale pra mim o teu sentimento e o teu pesar
Vou te dizer o tamanho do que eu sinto
Olhe para o mar
E conte comigo cada gota d’água dessa imensidão

Deixa eu te dizer um Oi em cada seu amanhecer
E que tudo se seduza e se transforme
E que tudo se alimente e se destrua
Por seu amor e seu sentimento em mim

O tonto e o homem

Era o tonto e o homem, amigos de vidas vividas, e dessas vidas encontraram um coração. E então, nos tempos de hoje, o homem virou tonto e o tonto agora é homem:

O homem briga, o tonto elogia.
O homem faz chorar de dor, o tonto de amor.
O tonto é simpático, o homem é bruto.
O tonto é tonto, o homem é homem.
O homem não agrada, não orienta e não se preocupa
O tonto é romântico, até nas dificuldades.
O homem não liga para os sentimentos.
O tonto só pensa neles.
O tonto da uma aliança dourada e sorri.
O homem da uma aliança e tira, para não mostrar.
O homem é homem, o tonto não.
O tonto faz de tudo para ver um sorriso.
O homem sorri só por ele.
O tonto ama, o homem engana.
O tonto cuida, o homem nem liga.
O homem é fácil, o tonto é poético.
O tonto faz de tudo, o homem te deixa sozinha.
O homem é tonto, o tonto é homem.
E vice-versa.

O Sino da Catedral


Um, dois, três...
Tantas vezes ao dia o sino toca
E toca o medo embora
O mendigo acorda, o romance aflora
Comum como uma flor, desabrochada naquele espaço
O sino toca, na Catedral abençoada
E as horas passam, os sentimentos se perdem
Sorrisos, valores, sentidos, pensamentos
Tantas coisas desse mundo se lembram por aquele sino
Toca o sino da Catedral
Pessoas procuram, sorriem, e param por um segundo, ou por dez
Parou a cidade para ouvir aquele estrondo
O som do sino que balançou o coração
Toca o sino da Catedral, no sol ou na chuva
Em qualquer solidão
Toca o sino por aqui
O sino que lembra a vida
Na essência dessa cidade
O sino toca, as horas vão embora
Um, dois, três, quatro...
Toca o sino, a vida passa...
Na Catedral abençoada.

Uma canção para Iá


Iá Iá
Perderia-a, lá-Iá
Por ser estranho ao esboço de teu mar
Desonesto eu seria, Iá
Se não fizesse a tua parte em meu céu
Sob a imensidão do teu nome
E de teus passos, Iá
Deixei um recado para teu retrato
Um sinal de nós dois
Iá-Iá
Eu mentiria-a você-Iá
Se fingisse ser a tua dor
E provar-te-iria-Iá
Se dissesse que sou o teu amor
Mas, Iá-Iá
Não saia jamais de minha história
E não diga nem ao teu Eu sobre mim
Pois, faz parte de minha canção, a tua memória
Iá-Iá-
Tão tolo seria
Por te esquecer, Iá.

Lenços para nós dois

Apesar de serem tão inúteis nessa vida
As minhas lágrimas te lembram e te somam ao meu sorriso
E ao meu mundo que se perdeu e esqueceu onde estaria o teu amor
No sol que me cometeu ao teu olhar de cautela
E da tua paixão que me fez remeter ao nosso encanto
Lembre-me sob o céu e sob o amor
Não me distancie, nem por um acréscimo em tua vida
Não me deixe partir, nem por um minuto de ódio teu
Pense em ficar, em todos os teus dias, amanhã ou depois
Não jogue fora a minha poesia
E nem ao menos livre a minha alma da sua
Pois, de tudo o que te peço
Quero mais e apenas a tua solidão
A tão nobre solidão
Sensatez de nós dois.

O dia ainda não terminou

Talvez a solidão seja a minha amiga
A amizade mais sincera e duradoura de minha vida
Talvez ela seja uma divindade
Daquelas que vem do céu e te faz dar valor a um pesar
Talvez essa solidão seja uma pessoa
Ou um passado cheio delas, talvez ela seja nada
E tudo mais que se possa crer
Pois os meus dias escuros
Escuros, pois não a tenho
Apenas são vividos em paixão e em verdade
Pois, eu sei que ele vai acabar
Não ligo para as minhas contestações
Não sei de onde tiro os meus pensamentos loucos
Mas eles acabam, e não terminam
Talvez a solidão seja a minha amiga
Meu coração, meu temor
Talvez o mundo esteja contra mim
Ou no fim do dia, a meu favor
Talvez o passado responda
E eu possa dizer que sou feliz
Com uma amizade em minha vida
Chamada solidão de um amor

O dia que clareou

Clareou o dia e você sorriu
E saboreou-se e não mais quis ver e ter a solidão
Mas invejou a quem disse ser feliz
Felicidade, onde será que se perdeu
Ela se foi, ela mudou de casa
O dia que clareou te trouxe um novo mundo

E fui embora, chamei a doçura
Grite a esperança
Convidei o amor a ficar
Ele me respondeu
E disse-me amar
Clareou o dia e o meu sorriso
E teus olhos também se afetaram

Nada te trouxe aqui
Foi você que se encontrou
Apenas gostaria que jamais escurecesse de novo
Nem mais um dia, nem mais um medo

E que a lua jogue a inveja lá pro nada
E deixa clarear

Todos os teus santos dias


Paz 

O mundo precisa
De um sorriso de dia
E uma loucura em vão
Uma lembrança, uma vida
E um acaso, o perdão

O mundo merece
A esperança divina
A dor e o coração
Um abraço
Uma vida
Uma enorme paixão.

O mundo merece
Mais que uma mina
Que destrói essa casa

O mundo precisa
Da paz e da cor
De qualquer cidadão


Criador do mundo 

Digas sim para quem te ama
E à sinceridade
À vida, o fel e o mel

Digas sim aos prazeres do mundo
Ao eterno, à solidão
O profundo, à dor

Digas sim à infelicidade
Saudade, positividade
À vida, a todos que não te querem ver

Digas sim, antes do fim
Quem e o que amas, o que sentes
E por que está sorrindo

Digas sim ao criador do mundo
E não subestime as tuas vontades
Digas sim ao teu destino
Digas sim à felicidade.


A lua, destino e solidão

Não entendia como obrava a dor
De meus dias de poeta
O sorriso de gênio
Que me culpava
Aos denunciantes viris
Parti ao sol de solidão
As estrelas se esconderam
A lua linda apareceu
E fui ao encontro de todos os meus sonhos
Insistindo para o destino me entender
Me sorrir, me amar,
E não deixar eu ser feliz sozinho.


Desmorre minha vida

Desmorre, desmorre!
Minha vida, desmorre!
Não deixa de acordar
Amanhã, sob o sol e o luar
Desmorre. Acorda. Atenta. Aceita a solidão, vai
E não morra mais.

Descobre quem te ama
E não liga mais pra dor
E a quem te deixou partir.
Desmorre, vida.

Há um tempo tudo era paz
Tudo era amor, e sorrisos
Agora, está tão mal
Está quieto e tão triste
Apenas, pois, ela te deixou.

Descobre que na vida
É preciso mais que um amor
É preciso amar

Quando tudo está perdido
Olhe para o lado
Existe outro caminho.
E desmorre, vida
Desmorre!


Ah, mulher...

Mulher, delicada, linda, mulher
A cara metade, a insanidade, a lisura
Menina, moça, donzela, princesa, rainha das flores, dos jardins
Mulher, questão da vida, mulher, indeferida
Olhos brilhantes, cabelos brandos, pele de cereja
Mulher, provocante, incitante, mulher
Esposa da vida, tranquila, serena

Estrela que brilha e paira sob o céu
Palavras de carícias, mãos macias
Jeito incitante, beijo sabor de mel
Mulher
É a esperança, a riqueza
É a flor que faz colorir
O perfume que incuba os sentidos
É a razão que faz sorrir

Mulher de veraneio, do eterno
Mulher de loucuras, do inferno
Mulher de suspeita, de solidez
Mulher de todo o mundo, da primeira vez
Dona de corações amados
Sabedora, sempre, do certo e errado
Dona donzela, incitante em seus amores
Linda, mulher, de extasiados e cantores

Ah, mulher...
Razão, emoção, coração
Amizade, felicidade, vaidade
Mulher, a vida, o mundo o sonho
Um bem maior, a riqueza, a sobriedade
A virtude necessária
O desvario, o prazer
Amásia linda de tanto querer

Como diziam os ajuizados:
Feliz é o homem que encontrou uma mulher
Para assim saber viver.


A minha poesia

Minha poesia, onde está escrita?
Em qualquer página desse livro
Está no silêncio e até nas estrelas
Está escrita na lua e no céu, em versos de um bom conto

Minha poesia, onde está descrita?
No papel de pão e de guardanapo
No infinito e no descaso do caso
Na rua e no homem do saco
Que quando criança eu tinha medo.

A minha poesia está escrita em meu passado
E na diferença do mundo. Está no universo inteiro
Na rua de pedra e no carrinho de madeira
Está onde está a poesia de Drummond e Quintana
A minha poesia está jogada no vento
Esperando alguém alcançá-la

Onde está escrita a minha poesia?
Minha poesia está nas violetas que eu a prometi
E no campo de rosas vermelhas da novela
Está além desse mundo e dessa estação
Minha poesia está em qualquer lugar
Em todas as páginas desse livro.


Verso de cordel

Diga assim para quem te quer bem
Que o seu amor é um só
É amor que vem do céu
É a esperança, como um verso de cordel.
Ame a si, antes de espalhar o teu sorriso
Pois a felicidade se encontra nos mínimos detalhes
São os menores olhares
Nessa intensa imensidão do luar
Digas para mim que quer ser amado
Afável de carinho, como um doce desejo
Que vida sozinha, como um domingo de dilúvio.
Sinta um sorriso, a eternidade, nós dois.
Diga para quem quer que seja
Nada dispensa o pensar de um coração
Seja feliz, nessa intensa imensidão, que é viver.
Pois, então, o seu amor é um só
É amor que vem do céu
É a esperança, como um verso de cordel.


Vês que quis ser feliz

Aquela vez que quis ser feliz
Mas não conseguiu, pois estava só
Vês tão bem esse caminho, que não se fez o amor
O insulava sob o sol da manhã
O coração daquele que não o conhecia
Acontece que com um sentimento tudo é simples
Aquela vez que quis ser feliz
Não entendia quão tolo era
Como o anoitecer, e o sol da manhã
Vês por onde for
Vês por seu amor
Vez que quis ser eternamente feliz
Até que Deus te disse:
Percorres o teu caminho
Ao lado de quem te ama.
Vês o que fez por tua vida.


Um dia eu te encontrei

Um dia eu te inventei
Como se fosse a primeira vez
Como o sol e a lua ao anoitecer
E as estrelas desse vasto caminho de amor.
Um dia eu te enxerguei, longe daqui
Tão distante que não ousei em chegar
Tão próxima à felicidade
Com o seu sorriso sincero.
Talvez um dia eu te encontrei
Nos meus sonhos mais concretos
Senti o seu cheiro de mulher inocente
Dizendo palavras que nunca sonhei em ouvir.
E essas palavras que eu escutei
Me fizeram acreditar em te encontrar
Vi o seu sorriso tão lindo aparecer
E tão de repente assim você chegar.
Um dia eu consegui tocar a sua face
E assim viajar meio acordado
Sentir a sua delicadeza de princesa, linda
A dona das minhas mais belas riquezas.
Um dia eu me perguntei por que demorei a te ter
E a resposta veio com o tempo
Que assim parecia ir embora sem saber
E me deixar a sós com esses pensamentos.
Aquele dia eu  vi você partir
Sem qualquer direção a não ser a saudade
Saudade que ensinou para o meu coração
O caminho da tão suposta felicidade.
Um dia eu te encontrei
Como se tudo fosse verdadeiro
Como se na vida isso fosse fácil acontecer
Alguém chegar e me fazer ser o primeiro
Nesse mundo intenso de mentiras e prazer.



Um Pequeno Poeta

O Pequeno Poeta já sabe viver
Ele diz que a felicidade depende de nós
Que querer é poder.
Que sonhar é preciso.

O Pequeno Poeta é poeta
Da vida, e sobre o mundo ele diz:
Em que mundo vive o mundo?
Senão o de mentir.
Senão o de julgar.
Senão o de sentir.

Pequeno Poeta, por que és triste?
E ele respondeu:
Acabou o amor, o sentimento de conquista
Acabaram-se os jeitos e as verdades sinceras

Ninguém mais sabe chorar por quem ama
Mas sabem sorrir por qualquer alma perdida.
Pequeno Poeta, que mundo é este em que vive?
Em que mundo irá viver!



Um recado ao coração

Olá, coração partido, por que estás tão carente?
Pois a vida de inocente se passou entre seus dedos
Seus medos e receios indolentes ficaram perdidos por aí?
Por que você não obedece a razão? Se a razão está acima de você.
Coração machucado, por que se machucou?
Não ousou em pensar nas consequências, e caiu.
Agora estás assim, chorando.
Não chore coração, aprenda:
Nada é em vão, nem mesmo os erros
Não se arrependa, mas tenha coragem de voltar atrás.
Coração, desvairado e desesperado, viva.
Deixe que essa ferida cicatrize
E que os sonhos te dominem
Deixe alguém te acariciar e tomar conta do seu espaço
Isso coração ferido, pulse.
Tão calmo rápido e maleável
Tão lindo próprio e sensível
Não reprima suas vontades, não tenha medo
Não compare o presente ou futuro com os defeitos de ontem, coração.
Se entregue, tão intensa e sinceramente para que eu não te reconheça.
Reluzem em meus olhos os seus sentimentos e me conduza à tão sonhada felicidade.
Aprenda comigo os segredos da vida, e continue a amar esse amor que há tempos procurava.
Esse amor, que um dia pensou não existir, mas que encontrou:
Por esse destino indeciso, entre o futuro que, com sorrisos e lágrimas, conseguiu construir.


Tão grande é a vida

Grandes são os que vêem estrelas brilharem
Aqueles  hígidos tão lindos de coração
Valentes almas perdidas por ventos e flores
Que campos de rosas, beija-flor
Que sonhos lindos esses quem têm
Acordai em Deus, em celeste rebeldia
Anjos me guardem, me iluminem
Que esse dia seja longo, tão quanto o tempo
Grande são os que vêem o sol
Que sabem existir por esse mundo
Que dizem verdades esconde mentiras
Grande são os poetas, tão grandes são.
Os que vivem com um sorriso
Que não deixam lágrimas marcarem teu rosto
Grandes os corações machucados
Que recomeçaram, e de novo, de novo.
Abrir os olhos pela manhã
Sentir o cheiro da chuva em terra molhada
Calafrios por um vento forte
Que sorriso lindo
Lindo de céu azul
Tão grandes são os que vivem
Que sabem o que é viver
Como um estranho em linhas versadas
Como os poetas que se calam.



Sonhei com um anjo

Sonhei com você, com teus olhos e teu jeito de amor
Com teus lábios com gosto de maçã
Teu cheiro que não sai de mim.

Sonhei com você.
E era um amor assim, como não existe
Só eu e você, numa noite de estrelas
Como um final feliz, em um filme de nós dois

Sonhei com você, que alegria, maravilha.
Era um anjo, um encanto, um amor
Era tudo, o mundo, meu clamor
E acordei para sorrir, para te ver em mim

E te dizer...
Numa noite, em qualquer lugar
Você fica linda de asas, meu amor.


Quero ser feliz!

Também quero ser feliz, não é só você.
Feliz com tudo, sorrir com todos, vibrar com qualquer chute para o alto.
Quero me sentir bem e saber que nada me provoca outra sensação.
Quero ser feliz!
Não quero me acostumar com aquilo que me faz chorar. O que me faz chorar?
Quero aprender o amor, vivê-lo intensamente, sofrer e sonhar.
Quero me arrepender de ter nascido, me orgulhar com o orgulho de meus pais.
Quero ser feliz!
Realizar sonhos, fazer alguém amar.
Viajar pelo mundo, com a intenção de sentir alegria.
Se tudo der errado, começar novamente.
Se estiver dando certo, continuar no mesmo caminho.
Quero matar as saudades, e ao menos senti-las.
Quero passar vontade apenas para matar um desejo.
Admirar meus defeitos e odiar minhas qualidades.
Quero apenas um olhar sincero, ouvir um não.
As vezes escutar um sim, nem que seja do meu coração.
Ouvir algumas críticas, injustas. Alguns parabéns, injustos.
Quero ser sincero e escrever poesias.
Quero tomar chuva e sorrir todos os dias.
Pensar no futuro e saber que ele me espera.
Sem medo das pedras que aparecerem no meu caminho.
Ainda desejo me arrepender do que não fiz.
Só pra chorar e sentir vontade de voltar atrás.
Apenas quero, e somente isso, ser um dia muito feliz!



Rosas

Amo-te como amo as rosas, lindamente assim
Como faço das lembranças o meu caminho
Do passado, minha segurança
Dos meus sonhos, eternos desejos

Amo-te como amam os pássaros, os brandos, os chatos
Sigo nos dias de sol e ventos, um eterno coração
E amo-te para agradar a ti, a minha solidão

Amo-te como se fosse uma linda canção
Uma melodia infeliz, com lágrimas de amor
Daquelas que lembram os meus dias, e seus tempos de clamor

Ah, que bela harmonia...
Amo-te como amo as rosas
Alimento os meus sonhos com um tanto de você
E deixo, e vai embora, vai longe, assim...
Como se eu nunca fosse te perder.



Soneto do meu bem

Disse alguém, de um jeito meu bem.
Está tão ansioso por seu amor
Espere, pondere, viva.
Deus sabe a divindade que te manda
Deus sabe a riqueza que te espera.

E desse alguém que te encantaras
Não subestime a felicidade, nem sequer a saudade
Conviva com o amor, a dor e a falsidade
Mas seja você, onde quer que for

Seja o amor, o motivo, a razão, o carinho
Doe seu coração para alguém se espelhar
Cante uma canção para se magoar
Viva, meu bem, viva!
E seja feliz, o resto de sua vida.
Até a eternidade chegar.


Poemática

Da minha janela eu vejo as crianças brincando no chão de terra. E vejo os senhores passeando na praça da vida. Da minha janela eu vejo os pássaros rondando seus ninhos, e vejo o mar. O mar de amar. O medo do sossego. O céu do véu de ontem.
Acontece que quando a gente ama, vemos poemas em tudo, até no sol da chuva, e o arco-íris, até no conde da vida, lá de trás, antes de o mundo ser mundo. Da minha janela eu vejo as estrelas, até onde não tem, e invento sentimentos para alguém. Da minha janela imagino teus olhos, e sinto até o perfume das rosas do seu vestido de novela.
Acontece que quando a gente sente algo bom, a gente quer gritar, até para a rainha de Deus ouvir. E vemos vida, damos sorriso a quem não quer, amor a um coração, a composição de teus sentimentos.
Acontece que da minha janela é fácil, tudo é fácil, é tão simples viver, tudo é simples sentir. Da minha janela, essa janela que reflete em meus olhos, eu chamo a vida de meu bem, e a felicidade de meu amor.



Poesia

Depois de tanto tempo, amor
Depois de tanto errar, nós dois
Depois de tudo, o mundo, depois

E eis que surge a felicidade
A guerra feliz de dois sentimentos
Um olhar, o pensamento
O café na cama, o perfume da flor

O engano planejado do meu coração
Meu destino não me explica
Minhas tristezas tão exatas
A solidão da minha amada
A alegria do meu dia

Ontem eu te amei
Era você a minha saudade
Te encontrei e desejei
Depois de tempos, eternidade

E amanhã o que será, amanhã o que virá
Um sorriso  para amar
Uma vida que não se explica
Meu desejo
Meu sonhar

O prazer da minha vida
Que seja eterno e sincero
Que seja sol e uma luz
É esse carinho que conduz
A minh’alma e poesia.



Prosperidade

Desejo a você um lindo e enorme sentimento do mundo. Um sorriso profundo, que não exista limites para se alastrar. Espero que a vela de sua vida não se apague com essa chuva de ignorâncias, nem que os seus sonhos se tornem impossíveis apenas por que te digam isso.
Espero que você se limite a ser feliz e que se obrigue, exclusivamente, a sentir essa ternura. Que o seu caminho seja tão vasto de amor e que as pedras não te aflijam. Que essas pedras sejam o alicerce do seu castelo.
Desejo que os dias lindos sejam tão lindos como você.
Que sua vida se mantenha em alegria e que você demonstre o seu bel-prazer.
Abrace a gratidão.
Acredite!
E fala pra tua tristeza que Deus ama o teu sorriso.



Que seja por amor

De que vale a vida sem o seu amor
O paraíso sem as suas palavras de dolência
O que é o mundo sem os teus lábios, labirintos como a música diz?
Vida, sem você, é vida?

Diz-me então como decifrar as fases do meu coração
As loucuras fabricadas de quando te vê
Atos impensados, beijos molhados, chuva tomada
Lágrimas e dor.

O que é pensar, sem pensar em ti?
Sonhar, sem poder te ter?
O que é o futuro sem você aqui?
Sem teus olhos e seu perfume doce.

Explique-me o arrepio de minha pele
O delírio do meu coração
A lentidão da estação, ao te encontrar
E o meu intenso desejo de felicidade.

Explique-me o destino
E conte comigo cada gota de água do mar
Saberá assim, a imensidão do meu amor
Ou ainda precisará de um dilúvio.

De que vale a morte, se não for por você?
Uma palavra se não for por ternura?
De que vale tudo, o mundo
Se não for apenas para te descobrir?

Entenda, então, que és tudo enfim
É vida, eternidade, idolatria
É a saudade que um dia vai me consumir
Quando o pra sempre chegar
Quando, por amor, eu partir.


O que a vida vai fazer de mim?

O que a vida vai fazer de mim?
Depende do que eu sentir, do que eu fizer
Não sei se a luz me alcança, se a divindade me espera
Não sei se quero sorrir, se vou chorar, se vou sentir você chegar
O que a vida vai fazer de mim?
Se do sol eu não mais sair
Se no chão eu não mais pisar
Se tudo um dia virar fim.
O que você vai me perguntar?
Quando eu disser que fiquei louco
Quando eu disser que não te amo
Você ainda vai me amar?
O que vou sentir quando você me abraçar?
A felicidade chegar, a estrela brilhar, o mundo disser que sim
Me espere então, me de sua mão, seu coração.
O que a vida vai fazer de mim?
Se os meus olhos se encherem
Se eu te adorar como ninguém
Se os meus planos forem pra sempre
Quando minha vida se acabar
Como quando eu conheci alguém.
O que a vida vai fazer de mim?



O que é de um coração...

O que é de um coração sem pulsar por alguém
Sem ter medo de errar e contrariar a razão
Sem ter paciência com olhares e encantos de solidão
O que é de um coração sem um dono por inteiro
Sem sequer ser o primeiro
Em um preito de emoção

O que é de um coração, sem qualquer desvario
Senão entender um caminho que o levará até o céu
Sem saber sequer mentir, gozar, decifrar as pernas trêmulas
Sem se iludir por uma palavra que parece melodia

O que é de um coração sem sofrer, sem dor
Sem sequer um amor para se magoar
O que é de uma alma sem a essência
Sem um perfume decorado e palavras de carícias
O que é do mundo sem um coração radiante
Sem aquele pulsante que te faz namorar

O que é de garotas mimadas
De rapazes fogosos, e daqueles sinceros
Sem um coração para se espelhar

O que é de um coração sem ter outro por perto
Sem chorar, sorrir e se entregar
O que é de um coração sem um momento de afeto
Sem uma lembrança de um beijo
Sem motivos para sonhar.
Sem ensejos de amar.



O romântico

Devo ser antigo, antiquado, diferente
E para ser sincero, eu gosto de ser assim
Sou daqueles que dizem ‘eu te amo’ apenas olhando nos olhos, sem qualquer timidez
Que acaricia e afaga as lágrimas de qualquer tristeza.
Sou romântico!

A ponto de mandar flores: rosas ou violetas
E deixar num bilhete, escrito a mão, o meu perfume
Para assim você guardar...
E lembrar-se de mim, dos meus costumes.

Sou tão romântico que deixaria de viver, para viver
Para beijar, abraçar e amar, um amor
Sonhar, como qualquer brutal desejaria
Em seus dias de encanto, em seus incessantes momentos de paixão.

Romancista ao extremo para saber sorrir
E sorrir como a verdade diz
Chorar ao ver um coração partido
Ou um olhar ir embora com esse tempo.

Ainda pergunto se está feliz
Apenas para eu também ficar
Ou se está tão triste
Para eu simplesmente te abraçar.

Ainda procuro a felicidade
E acredito que eu possa encontrá-la
Numa noite linda de estrelas de cinema
Que atraem um amor que há tempos não existia.

Acredito em serenatas e em cupidos
Tenho a madrugada como a minha arma secreta
Nas ligações inesperadas e na falta de palavras
Nos suspiros apaixonados e nos beijos espontâneos.

Eu sou romântico a ponto de me conformar com teu ciúme
E me contentar com as tuas mentiras
Romântico até para saber o que você sentia
Na raiva de mim, quando eu não disse que te amo.

Faço das alvoradas o bom motivo para te encontrar
E fazer os meus sonhos se tornarem reais
Faço de mim o que alguém jamais ouviu dizer
E das minhas pretensões um futuro inesperado.

Sou poético para guardar um segredo
E dividir com você os segredos da minha essência.
Reinventar a saudade para eu poder te abraçar
E reviver aquela noite...

Sou romancista para esquecer os desvios do meu coração
As doces lembranças de quem não devia me amar
O necessário para voltar atrás sem me arrepender
E dizer, novamente, alguns versos que se perderam com o vento.

Sou romântico para provar que é o ser da minha vida
E que nesse mundo só basta te encontrar
Que minha fortuna é somente esta...
Tão romântica quanto a vida deveria ser
Tão sonhadora, como quando eu penso em você.



Pétalas de saudade

E sucumbiu às pétalas que voaram
Pois apenas queria amar, e amou.
Mas, a vida e os amores... Passaram.
Ficou apenas a saudade, e a vontade de voltar
Para ser feliz novamente, para sorrir e abraçar o mundo.
Mas não o fez, não podia, era tarde
Tarde para dizer consegui, desisti
Tarde demais para conhecer outros olhos
E dizer, tão certo, que encontrou a calmaria.
Caminhava indolente por terras e pedras
Pensativo, sonhava com os tempos de curvas
Curvas de felicidade, que se desenhavam em um sorriso.
Em um sonho tão distante, seu coração foi buscá-la
Com as lágrimas de chuva que marcavam o seu rosto
Sucumbiu às pétalas que voaram de suas mãos
E nunca mais foi feliz, como um dia ela o fez.


O amor é eterno

Pois se você não existisse, eu te inventaria.
Não está apenas em mim,
Está em nós.

Não se vá meu amor, me ilumine
Riqueza, ouro, flores, não posso te dar
Mas amor é o que tenho.

Primeiro me ame, me chame de seu
Seu amor.
Me faça ser os teus desejos, o motivo dos teus sorrisos
Me deixe afagar suas lagrimas, faça de mim o seu abrigo
Me ame, me ilumine

Faça-me eterno em teu coração, e sinta.
O amor é eterno.
O amor é eterno.
O amor é terno, meu grande amor.



O céu de algodão doce

Conheci um céu tão doce quanto um pão doce de mel.
O céu de algodão doce, que de doce tem tudo
Têm estrelas pingadas e nuvens sabor de açúcar
Têm sorrisos ao vento e olhares deslumbrados.

Lá no céu de algodão doce é tão fácil de encontrar...
Balas, suspiros, biscoitos e tudo o que faz sonhar
É um céu de alegrias, sorrisos e rebeldia
O lugar que quero estar em todas as noites dos meus dias.

Se lá no céu posso viver, não vou sonhar outro sonho
Vou apenas adormecer e acordar tal risonho
É o céu de algodão doce, que de doce tem tudo
Têm felicidades e lágrimas, mais alguns prazeres do mundo.

Vi o céu de algodão doce se desmanchar na claridade
Vi os sonhos irem embora como se fossem a puberdade
E não sonhei mais um sonho tão doce quanto o céu
Nem acredito que o  inventei como uma pintura com pincel.



O hipócrita mundo de amar

Vinde a mais um ano do que qualquer estranho pesar
Tentei remeter ideias do intenso mundo de odiar e amar
Mas as noites não pareciam ter ao menos um fim
E tudo acontecendo, ao redor e bem a frente de mim.
Meus pais chorando nos quartos trancados
O eco da vida do mais deslumbrado
E um sol pensando em querer se esconder
E deixando no mundo apenas você.
Não demorei a ver lágrimas caindo no chão
Nem descobri o paraíso depois de procurá-lo
Só tentei resolver com o meu coração
Que sem sentido me disse que iria encontrá-lo.
Se o céu virou mar e se tudo ocorreu
Se o mundo é da gente ou alguém que escolheu
Se eu sei que na vida não posso  dizer
Que você já ganhou, muito menos perdeu.
Ser hipócrita aqui é querer ser o rei
Ser o rei por aqui é tentar se iludir
E tentar se iludir é você quem escolheu
Ser o certo aqui é amar quem venceu.
No meu mundo partido de lágrimas e sorrisos
Só é estranho na vida ter que imaginar
Uma história sentida em outros caminhos
De alegrias vividas no hipócrita mundo de amar.



O maior amor do mundo

Quando encontrar alguém especial não deixe passar. Conheça o seu jeito e deixe o que estiver sentindo falar mais alto. Não pense em nada, não mude ninguém, sinta acontecer, o sorriso transbordar.
Quando seu coração ficar parado por alguns segundos, não se assuste. Se o seu olhar se apaixonar por outro e se o seu primeiro e último pensamento forem os mesmos, agradeça.
Se ao fechar os olhos sentir vontade de um abraço e palavras de conforto, se desejar que o tempo voe apenas para encontrar um lindo rosto, não se explique.
Se um dia alguém fizer você se sentir tão bem quanto nunca imaginou ser possível, os seus desejos forem se transformando em loucas aventuras e a sua vida depender de outra felicidade, se sinta bem.
Quando um beijo não sair de sua boca, o mesmo perfume estiver em qualquer lugar e uma voz te fizer amolecer, se maravilhe.
Quando os seus sonhos não incluírem apenas você e o seu futuro planejado for um imenso mar de rosas num paraíso qualquer, parabéns. Saiba que recebeu a única fórmula para qualquer restrição da vida.
O seu amor, o maior do mundo.



O meu amor em ti

Não entendo, pois, o que és essa saudade
O quão bem me faz pensar em você
E nessa solidão que me renuncia ao eterno
Pois entenda, meu bem, que o meu amor é seu
Minha vida é nada sem ti
E meu céu depende de sua estrela

Seus olhos
Seu perfume
Seu destino
Não entendo, pois, quem és essa divindade
Que remete a mim por um segundo
Como é maior, ou deixa de ser
E como é lindo pensar em você

O seu amor em meu mundo
E então, digas para mim
Como é ser essa ternura
Me ame
Me adore, me absorva
Me condene à felicidade
E seja a minha lei
Até os fins dos meus dias.


Meu coração, estrela guia 

Minhas mãos estão tremendo, meu coração está radiante, igual ao seu
Meus dias invisíveis, meus dias de sol, meu coração de veraneio
Meu coração de qualquer lugar, meu mundo sem você
Minhas vidas passadas, amadas, invejadas, de amor
Meu mundo de dor, que já me acostumei.

Meus olhos lacrimejam, meu peito sorri
Meu sorriso é seu, igual ao meu mundo
Minha flor, princesa, minha vida
Meu ar, meu céu, estrela guia.

Passo no caminho que Deus planejou e encontro você
A única rosa que não vou esquecer.
Meus dias de sol e de chuva, dias de tempestades
Meus momentos de dor, de curvas e crueldades
Ficam mais fáceis quando te encontro.

É meu coração, a razão, o que me faz amar
Amar como sempre invejei, amar como um dia sonhei.
A diretriz e um sonho.

Deus, este que me criou e ainda fez você
Me ordenou a te encontrar
E te amar, até o fim da vida.
Meu coração está radiante, igual ao seu.



Meu espetáculo é viver

Sou especialista em tentativas
E não tenho qualquer medo de falhar
As vitórias mais importantes da minha vida
Foram as que eu nunca deixei de tentar

Para mim não tem fases perdidas
Nem ao menos um sonho tão distante
Mas quem me dera se nessa vida
Chorássemos pedras de diamantes

Seria tudo irreal
A um passo do paraíso
E como seria especial
Entregar o meu amor ao teu sorriso

Vejo lá na frente uma luz a me acalmar
E me soa em desrespeito àqueles que não sabem sonhar
Me diz pra que viver,
Pra que saber,
O que sentir
Se o dia em que conquistar não falarás:
Eu venci.

Posso ser tão otimista quanto parece
Mas sou sim especialista
Especialista em ensaios
Para que no dia do espetáculo
Todos que me criticaram me aplaudam de pé.



Minha rebeldia

E que essa ilusão se vá
Como o amor que eu sentia
Que a vida à minha volta, volte
Como em tempos de rebeldia

Que tudo se transforme, o tempo voe
Que nada mais me faça lembrar você
Esse lindo rosto de anjo
Esse jeito bom que me engano.

Que tudo volte ao normal
Ao tempo de felicidade
E a vida te esqueça, desapareça com  a sua timidez
E faça sentido à poesia de viver.

Ah, como é bom sentir amor
E ainda ser amado
Como é lindo esses dias
Como uma flor em tempos de primavera
E a solidão em momentos de espera.

E que essa ilusão se vá
Como o amor que eu sentia
Que a vida à minha volta, volte
Como em tempos de rebeldia.



Não chores por mim, vida

Não chores por mim, estou bem
Os meus sonhos ficaram por aí
Minhas riquezas exatas e os sorrisos sinceros também, vida
Aqui eu trouxe apenas as lembranças e certezas de um final feliz.

Deixei saudades para quem ama e a vontade de voltar atrás
Não por viver, nem por conhecer ela
Apenas para conseguir afagar uma lágrima
Que insistia, tão constante, em encontrar o chão.

Ficou por aí as verdades que um dia eu contei
Algumas mentiras que arrancaram sorrisos
Abraços que fizeram amolecer
E também aquele beijo que jamais vou esquecer.

Vida, minha eterna, desculpe por eu te deixar agora
Tão cedo, tão nobre, inocente
Mas quem sou eu pra questionar essa hora
Que vem sem avisar e nos leva de repente.

Estou bem, vida
Não sei mais sofrer, nem dizer não
Descobri que a tal felicidade existe
Existe para quem procurar, em qualquer lugar
Desde momentos até em um coração.

Não chores por mim, vida
Não fiz nada para você chorar, ou fiz?
Não se justifique na saudade
É melhor senti-la do que não se lembrar.

Pense em mim e encha os olhos de lágrimas
Não por tristeza e sim por alegria
Não deixe que nada te machuque
Nem mesmo a solidão.

Olhe para frente e sinta-se a vontade para amar
Eu estou seguindo e esperando por você
Não chores por mim vida, estou bem
Aqui num lugar onde sorrir é a minha salvação.


Inseparável estrela brilhosa

Entre as coisas lindas da linda e modesta cidade
A mais reluzente vinha do céu
Com o nome de estrela. Estrela brilhosa
Na passeante noite fria.

Tudo começava com o olhar de princesa
Toque de rainha e seu jeito único
Nas lembranças da vida, era ela que eu sentia
E quaisquer alegrias de um coração
Nos sorrisos, sonhos e rebeldias
De um novo  mundo de amor e paixão.

No infinito arco-íris do destino incompleto
Dos sonhos bonitos e do jeito modesto.
Na linda cidade, a fria noite passou
As estrelas ficaram como qualquer linda flor
E quando olhei para cima enxerguei um sorriso
Sorriso lindo, sincero, que há tempos não via.

Na linda cidade do sonho infinito
Exala a saudade que só faz apertar
Nem os anos da vida de um jeito querido
Nem meus sonhos com ela, fazem despertar.

Mas eu sei que nascemos seguindo a morte
E partimos do mundo, voltando a viver.
Minha linda rainha de tempos vividos
Que se tornou a estrela mais brilhosa do céu
Ilumina assim esse meu caminho
E me faz acreditar num futuro fiel.

Não demora tanto para eu ir te abraçar
Ou então  por engano poder te encontrar
Se a saudade é assim e é preciso sentir
Eu prometo pra mim que não vou questionar.

Mas por que ir embora, tão de repente?
E deixar por aqui tantos fracassados
Por que te levaram se não tens concorrente
Que iguala no mundo o seu jeito de amar.

Entre as coisas lindas, da linda e modesta cidade
Uma estrela aparece até em dias nublados
Aclarando desejos e contendo vontades
Iluminando caminhos de mentirosas verdades.

De longe eu quero pensar em você
Sabendo que ainda vou te abraçar
Sentir seu cheiro único de rosas
E agradecer pelo dia que me ensinou a amar.

Continua brilhando linda estrela
E ilumina cada passo que eu der
Pois um dia vou gritar para o mundo
Que eu venci nessa vida pensando em você
Minha linda estrela.
Inseparável mulher.



Lágrimas de camomila

Naquele campo de violetas que se destacavam as mais belas rosas
Por você eu derrubei lágrimas de camomila, misturadas com emoção
E ainda perguntei se estava bem.

Bem com o seu coração um tanto esquecido
Com o seu amor de infância que se foi com o tempo
Ou mesmo com a sua vida, essa que está vivendo
Deixando passar as ruas que um dia te fizeram sorrir.

Perguntei tão sóbrio e indolente
Por que ainda me chamavas de amor
E você respondia com olhos lacrimejados.

Assim eu te abracei, esperei você respirar
E num suspiro tão instintivo, eu sorri
Sorri com o seu perfume de macela
Que afagava as angústias que a vida me mostrara
E me fazia acreditar na perfeição.

Abri os olhos por engano
Senti suas mãos a me agradar
Pensei nos sonhos que sonhei em dias de chuva
Nas lágrimas que caíram em dias nublados.

E você, na sentença da vida me fazia confiar
Que tudo é perfeito, até amores de infância
E amores para a vida toda, como esse que nos une.
Por você derrubo lágrimas de camomila, misturadas com uma dose exacerbada de esperança.



Lindo dia, amor

Não sei explicar o que senti ao beijar seus lábios
Não vou ousar explicar por que eu te chamo de meu amor
Se nem o amor eu sei dizer.
Não vou sorrir por seu sorriso, me encantar com o seu olhar
Não vou mentir que não te amo, apenas para me amar.
Os meus dias lindos só são lindos por que tenho você
Tenho a sua face na minha e as suas mãos em mim
Tenho os seus sonhos com os meus e seu futuro pra mim
Eu te amo, por que te amo.
E é você que faz os meus dias lindos, serem tão lindos assim.



Menina flor

Simpatia feita de paciência
Jogava pedaços de pétalas macias
Em sapiência com o amor
Feito menina, menina flor.

Que manchava o rosto com um bocado de carinho
Em suas lágrimas e sorrisos
Que deixe passar o tempo que ficou
Deixe uma hora tudo chegar
Como chuva de amor.

Simpatia, que linda era você
Ao me ver, tão sóbrio partir
Menina, amor, menina
Como girassóis, em dias de sol

E foi embora dali
E foi até onde sentir
E desse mundo
Simpatia, menina flor

Deixe uma hora tudo chegar
Assim, seu coração vai se acalmar
Meu amor.
Menina flor.


Era amor

Era amor, antes de ser,
Era carinho, antes de acontecer,
Era vida, antes de nascer,
Era nada, antes de você,
E já era amor, antes de ser.


Esboço

Nada por aqui é acaso
Nem as estrelas do céu, nem o amor do meu coração.
Nessa vida qualquer coisa é um desabafo
Minhas palavras sinceras e o teu olhar de solidão.

Nada é extremo, sincero, mentiroso
É tudo uma pintura, um esboço
Na vida, aqui, nada é ilusão
É verdade, é paixão, é mentira, é existir
O amor reinventa, faz sonhar.

Um beijo aquece, reconstrói
Um abraço alimenta, acalma
Um jeito completa outra emoção.

E assim, a felicidade aparece
Faz esquecer todas as compaixões
E apresenta a paz, fazendo reinar para a eternidade.
Um amor, em dois corações.



Eu te odeio

Odeio você, meu amor
Odeio tudo o que você faz
Teus passos, tuas tristezas...
Teu perfume, tuas riquezas
E esse cabelo de comercial.

Abomino esse olhar penetrante e o teu sorriso incitante
Tuas curvas honrosas e tua pele macia
Esse jeito inocente de todos os dias
Insistindo em me amar
Eu te odeio, meu amor.

Qualquer palavra que saia da tua boca, que mais parece uma música
Odeio quando diz que está apaixonada
Tocando o meu rosto com essas mãos de céu.

Eu detesto tuas roupas provocantes
E as curvas do teu sorriso
Esses olhos tão brilhantes
Que denunciam minhas vontades.

Não gosto dos teus segredos
Das tuas lembranças e medos
Eu abomino a tua sorte
E continuo a te odiar, meu amor.

Esses teus sonhos românticos
Teu beijo um tanto inesquecível
Teus conselhos melhores que de um amigo
E tua vida de novela.

Odeio tua beleza extrema
Reluzente como uma estrela
As palavras sinceras que diz sem saber
Me convencendo com toda honra que jamais vou te perder.

Ei...
Se um dia isso acontecer, pode saber que eu enlouqueci
Dizer o que sinto é pouco para quem não sabe mentir
Saber que eu te encontrei é a minha maior certeza...
A única coisa que odeio em você é essa saudade que me faz sentir.

Eu te amo, meu amor.



Flor de lis

Flor de lótus e de Vênus, flor de lis
Jardins alegres, pedaços de céu
Sombria estrela, lua nova, minguante, noite
Olhares, fantasias, ilusões

Meninos espertos, garotas mimadas, rapazes loucos
Infância de donzela, memórias de amor
Paixão, beijo, adeus

Destino, segredo, acaso, medo
Abraço e carinho, pensamentos e ilusões
Sonhos e momentos de solidão

Lágrimas no chão, pedaço de alma
Sorriso, perdão, delírio, equilíbrio
Vida, encontro, amor, amor

Princesa, plebeia, rainha
Jardins, flores, riquezas, enfim
Paz e querer, você, você...

Amor, calafrio, arrepio
Beijo doce, pedaço de céu
Sorriso lindo e um destino
Eternidade, felicidade, amor, amor.



Foi ser feliz, e sonhar

E então eles partiram...
Deixaram as lembranças da vida e fotos rasgadas
Num dia, um fio de esperança
Para assim o destino mudar.

E ele conheceu o amor, a chuva, o frio
Fez lágrimas escorrerem
Sorrisos transbordarem
E magoou seu coração.

Que de tão partido, vivo, insano,
Estava assim: lindo
Pois viu maravilhas, amores, enganos
E até mentiu, num desvario.

Sem saber o que iria encontrar até o dia amanhecer
Deixou o sol brilhar, e foi ser feliz
De uma maneira tão inocente que não sabia
E soube: era amor.

Quando encontrou aquele olhar
Abraçou o mundo
Sentiu um perfume doce
E a felicidade chegar

Deixou o tempo responder tudo o que sempre sonhou
Amou, viveu, mas não esqueceu o seu primeiro delírio
E partiu para o paraíso
Ser feliz, e sonhar.


Galanteadora Madrugada

Na madrugada, sem passarada
Sem dizer o que precisar dizer
Sem ninguém e sem saber
De você, nessa alvorada.

Uma noite linda e extrema
Galanteadora como as estrelas
Na madrugada eu sonho em vê-la
Ao meu lado até a eternidade chegar.

No amor, na paixão
No coração na divindade
Na alegria e na razão
Até na guerra e liberdade.

Galanteadora madrugada
Que os sonhos sonham em encontrá-la
E nos meus sonhos a felicidade
Que eu procurei por esse olhar.

Alvorada, galante
Linda noite em vão
Vou sentir por esses sonhos incessantes
O doce aroma dessa paixão.

Acordai mais um sonho
E esqueça essa madrugada
Galanteadora como um amor
Que se perdeu nessa calada.

Ao som de um violão

Me leve para onde a felicidade nos procure
Para onde o amor dependa de nós
Me leve até o seu mundo, e faça dele o meu

Me leve com você
Onde for, para que for, por favor,
Me leve com você

Me de a sua mão
Vamos embora, fazer uma música
Cantar ao som de um violão
Iluminados por essa lua

Vamos viver naquela casinha de veraneio
No meio do sertão
Em cima das montanhas
Ou aqui mesmo, no meu coração

Apenas viva comigo, me leve daqui
Me leve para onde a felicidade nos procure
Para onde o amor dependa de nós


Arrefecida

Digas que me quer tão certa quanto tens
E deixa-me dizer a teus sentimentos
O que é o meu ser
Aqueles teus olhos que me fizeste um homem

Me digas tão bem quantos és, e quanto sou
Me digas o que falta em mim
Quando desperta e não me vê
Quando adormece e não me sentes

Me falta ser o teu protetor
O ser do seu amor
Me deixas, me digas, me sentes
Me ilumine por sua vida
E não vá embora a fingir não que não me tens
Pois em mim você vive
E alimenta eternamente os meus anseios


Beijo de macela

Pode dizer tudo o que sentes dentro de ti
Que eu vou acreditar
Mas antes, me olhe nos olhos
Diz-me palavras de carinho
Abrace-me com amor.

Diga sim tudo o que passa por sua vida
Que eu, com meu jeito de carinho, faço dela o meu motivo
E continuo a te venerar
Com seu perfume doce e seu cabelo de fogo.

Continuo esperando um beijo de felicidade
E palavras que me farão esquecer paixões
Um toque meio exacerbado
Que me fará acreditar na razão.

Conte-me, se quiser, tudo o que pensas sobre mim
E eu te provo ao contrário
Digo que o meu lado ruim não é o pior
Pois eu sei amar.

Deixe as rosas falarem, o destino resolver
Sinta-se a vontade para me escolher
Eu prometo, que com um beijo de macela
Você nunca mais sairá da minha vida
E seu coração jamais vai me esquecer.



Bela

Indóceis belezas
Céu cinzento, chuva caindo
Costumeiro sol, final de tarde
Beijo no rosto, aperto de mão, adeus.

Estrelas lindas, ruas claras
Lua nova, minguante, trovoadas e desespero
Passos largos ao vento, e o vento tão louco
Rápido, forte, passageiro.

Cama vazia, meio gelada, dor de amor
Amor que se foi, e levou um coração
Saudade de olhares e perfumes
Cantos e vozes de malícias.

Sorrisos em vão, rosetas, dias inteiros a esperar
Por do sol, e as montanhas ganham vida
Os sentidos se abastardam e as lágrimas tocam o chão.
O tempo passa arrastado, o mundo gira lentamente
E os sonhos são deixados de lado.

Bela, a aguardar:
A morte, a dor,
O encontro, o paraíso,
A vida, o sorriso.


Bem-vindo, amor

Bem-vindo, amor
E faça de mim a sua maior razão
Dos meus sentimentos lindos, serem tão lindos quanto você é
Da minha sinceridade a minha maior virtude
E das minhas palavras, as suas.

Bem-vindo, amor
Me transforme em alguém que não consigo ser
Faça das estrelas a inspiração
Dessa lua que brilha, uma emoção
Bem-vindo amor.

Bem-vindo ao meu destino
Leia em mim os teus pensamentos
E faça dos meus sorrisos os seus sentimentos
Do seu abrigo, o meu coração.

Bem-vindo, amor
Me purifica, me alimenta, me ausenta de tudo o que faz mal
Seja tão verdadeiro quanto o meu olhar
E tão passageiro quando o meu amar

Bem-vindo amor, bem-vindo.


Calmaria

Hoje é dia de sol e o mundo está uma calmaria
A trilha sonora é o som dos pássaros
A rua está vazia
Os garotos já dormiram
Os poetas se calaram
O padre está doente
Os normais se transformaram
O amigo está chorando
O inimigo a sorrir
A vida se acabando
A riqueza a persistir
O amor virou paixão
O eterno uma noite
A alegria virou mentira
A verdade ilusão
Os sonhos irreais
Os planos surreais
A vida uma cilada
O pobre virou lixo
O rico presidente
O pai está ausente
Hoje é dia de sol e o mundo está uma calmaria
As crianças se perderam, e as mães...
Quanta covardia.



Canto dos pássaros

Como é de ser linda assim
Como será conviver com tanta graça
Benção divina que agrada a meu ser
Linda sempre, sem perceber.

Como será que é ser assim
Legitimada  por cantos de pássaros
Pássaros verdes, azuis, amarelos
Que ecoam seus sons em meu coração
Lindas suas mãos de véu
Seu beijo de mel, como um sonho que acordaste.

Como queria entender o teu ser
Que me desejas de longe sem me adorar
Como será que é ser assim
Tão bela por entre os céus
Tão nobre riqueza divina

Que me encanta com teu olhar
E nem um dia de sua vida
Ensina-me o doce prazer de amar.



Dar-te-ei

Mudei a minha alma de casa
De asa
De cor
Transformei os meus sentimentos
Acariciei, com calma, a minha dor

Eu mudei a minha alma de casa
E conheci a tua essência
Quando senti os teus anseios
E encontrei o seu amor

E te dei
E dar-te-ei
O paraíso
Até tudo em você se mudar em mim

Mudei a minha alma de casa
Mudei a minha vida pra te amar.



Deus está em minha vida

Deus está em minha vida, eu sou imortal
Mas que lindos são seus olhos de céu
Seu espírito de luz, a me iluminar
Por ele, com ele
Sem ele
Sou tudo e nada
Sou vela apagada
Sou eu sem ninguém
Meu Deus, meu véu, minha vida, meu tudo
Sou seu, sou teu, seu mundo
Criador dos meus passos
Que sigo te esperando, nesse caminho
Nesse encanto, no jardim do amor
Derrama sobre mim toda a sua graça
Que eu fique assim apenas te adorando
Sou o teu seguidor, tua alma, teu servo
Meu Deus, que nunca me abandonaras
Que jamais se esqueceras de meus anseios
Perdoa-me por eu te questionar
Obrigado, meu criador, por assim
Por muito, e pra sempre
Me amar.



Diga ao coração

Se quiseres saber o tão bom que é amar, esquece os teus anseios.
Anseie apenas em amar, e ame somente quem merecer.
Se quiseres ser tão bem quanto o tempo que voa
Nessa escuridão que chamas de amor
Esqueça-se da tua vida e doe uma parte a outro coração
Seja lindo, por quem quiser, por onde vier
Tenha os mesmos pensamentos no primeiro e último minuto.
Ame o mesmo rosto, nas primaveras e no verão.
Sinta amor.
E se quiseres saber o tão bom que é amar, esquece os teus anseios
Reinvente o seu propósito, acredite na felicidade.
O paraíso você vai encontrar.



Diga bom dia para quem você ama

Eu te amo, não é bom dia.
Bom dia é mais, bom dia é lindo
Bom dia é bom dia.
Eu te amo vem depois
Vem com o sol ardendo, com a nuvem se perdendo
Com a cama vazia
Bom dia é bom dia, nada mais
Eu te amo é clichê.
Bom dia se fala para quem se ama
Te amo se diz para quem se quer
Bom dia, meu amor, é bom dia.
Bom dia é para ter um dia lindo
Eu te amo é para se lembrar
Bom dia é bom dia e não é Eu te amo.
Bom dia vale mais, é feliz
Eu te amo é boa noite, é diretriz
Eu te amo se diz eternamente
Bom dia se diz depois do eu te amo
Depois do pra sempre.



Do destino

Leve o tempo que quiseres para arriscar a felicidade
Coração de pedra nunca cede a uma nova paixão
De pedras está cheia a vida
Então, amor, liberte-se
Não sonhe com anjos, apenas por sonhar
Nem sorria a toa, não minta amar
Caminhando se constrói o caminho
Felicidade é apenas o seu destino
Deixe ser o que quiser
Sua alma de plena luz
Seus defeitos anéis da humildade
Seu jeito de amor e divindade
Se entregue à vida eterna
E deixe que o destino te diga
Para que veio a essa vida
Se não amar a quem precisa.



Eco

Ecoa o amor entre os medos do meu coração
E o suave desejo te entende, como uma canção
E espera da vida o sorriso sincero o abraço amigo
E nada mais do que um simples anseio receberas

Ecoa a dor entre os medos da solidão
E os defeitos se abastardam como o tempo que passou
Mas não quero ser feliz, sem motivo nem inspiração
Quero apenas um sinal, que venha da minha essência.

Afinal, os perfumes ficam em quem distribui as rosas
A alma agradece, a vida enaltece, e o amor...

Ah o amor,
Ele acontece, em qualquer emoção.
Ecoa em mim esse desejo de mulher
Em meus medos, anseios e paixão.
Sorria, a vida agradece, mesmo em momentos de solidão.



Amigo é viver em uma questão: felicidade!

Amizade não quer dizer amor.
É muito mais que um simples amor!
Amigo simplifica, orienta, faz sorrir...
A amizade não te apresenta à saudade,
Ela te supre, revigora, ilumina.

Ser amigo é como ter um dom, é sentir-se essencial.
Quem não tem amigo, não sabe o que é gratidão.
Amigo te chama para uma festa e te afaga na tristeza...
Amigo fala mal quando precisa e te elogia quando menos espera.

A amizade é linda e de lindo tem tudo...
Têm cantorias em bar, risadas na madrugada, brigas e abraços no mesmo minuto.
Quem tem um amigo encontrou a companhia perfeita para sonhar...

E sentir-se tão bem para construir todos os caminhos.
A amizade é especial...
É o perdão sincero, a verdade precisa.
A amizade é tudo e de tudo, a vida!
É a nobre questão dos amores do mundo...
A amizade a sua maior felicidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado, volte sempre att.Kallil Dib